Internado desde 17 de março, Agnaldo Timóteo morre vítima de Covid-19

Com 84 anos, o cantor e compositor Agnaldo Timóteo morreu na manhã deste sábado, 3, por complicações da Covid-19

Com 84 anos, o cantor e compositor Agnaldo Timóteo morreu na manhã deste sábado, 3, por complicações da Covid-19. Ele estava internado desde o dia 17 de março em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Casa São Bernardo, na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro (RJ). Timóteo precisou ser intubado dez dias depois e ontem, 2, apresentou piora no quadro de saúde.

Em vídeo e em texto publicados no Instagram, o sobrinho do artista, Timotinho, confirmou o óbito e agradeceu pelo carinho das pessoas que acompanham o perfil. Na nota compartilhada na rede social, a família agradeceu aos profissionais da unidade de saúde em que o cantor foi atendido.

“É com imenso pesar que comunicamos o falecimento do nosso querido e amado Agnaldo Timóteo. Agnaldo Timóteo não resistiu as complicações decorrentes do Covid-19 e faleceu hoje às 10h45min. Temos a convicção que Timóteo deu o seu Melhor para vencer essa batalha e a venceu! Agnaldo Timóteo viverá eternamente em nossos corações! A família agradece todo o apoio e profissionalismo da Rede Hospital Casa São Bernardo nessa batalha. A família informa que a corrente de fé, com pensamentos positivos e orações, permanecerá, em prol de um mundo melhor!”, diz a nota.

Os médicos acreditam que Agnaldo Timóteo foi infectado entre a primeira e a segunda dose da vacina contra a Covid-19. O cantor tomou a dose de reforço na segunda-feira, 15 de março, mas apresentou falta de ar no dia seguinte, segundo informações do hospital. Uma tomografia apontou “acometimento de médio a grave” dos pulmões.

Nascido em Caratinga, Minas Gerais, o artista inicialmente apresentava-se em shows de calouros e circos. Em 1960, foi para o Rio de Janeiro e teve diferentes empregos antes de conseguir apresentar-se no programa Hoje É Dia de Rock, apresentado por Jair de Taumaturgo.

Timóteo também entrou para a política quando foi eleito deputado federal, em 1982, pelo PDT. Após voltar à vida artística em 1987, ele retomou a carreira política — durante a qual mudou diversas vezes de partido — em 1995 como deputado federal. Posteriormente, renunciou ao mandato para assumir como vereador em janeiro de 1997. Também foi eleito vereador, dessa vez em São Paulo, em 2004 e reeleito em 2008. (Colaborou Mateus Brisa)

In this article