Conecte-se conosco

Outras

Moradora de Sena Madureira, Dona Graça do Evangelista, morre em Porto Velho

Dona Graça do Evangelista lutava contra um câncer

Publicado

em

Da Redação

Faleceu na manhã desta quinta-feira (1º), em Porto Velho (RO), a dona de casa Maria das Graças Oliveira de Araújo, conhecida como Graça do Evangelista. Bastante conhecida em Sena Madureira, ela morava no Bairro da Pista.

Dona Graça tinha sido diagnosticada com câncer e fazia tratamento fora do Estado. “Quando chegamos aqui em Porto Velho, o médico nos comunicou que o câncer estava bastante avançado. Infelizmente hoje a nossa querida mamãe veio a óbito. É um momento de muita tristeza pra todos nós”, comentou seu filho Anacleudo.

O corpo de dona Graça do Evangelista será transladado para Sena Madureira, sua cidade de origem.

Outras

Mais de 400 quilos de tambaqui são trazidos de Porto Velho para Sena Madureira

Com a meta de não deixar faltar o peixe

Publicado

em

Com a meta de não deixar faltar o peixe no mercado local, os pescadores de Sena Madureira continuam trabalhando com a importação. Na manhã desta terça-feira (28), em torno de 400 quilos de tambaqui foram descarregados no mercado do peixe. A carga saiu de Porto Velho, Rondônia.

De acordo com o pescador Gean Carlos, o quilo está sendo vendido ao preço de 20 reais. “Trata-se de um produto de qualidade e o tambaqui já é vendido tratado. Realizamos a importação porque não está sendo possível capturar nos rios da nossa região”, disse ele.

Além do tambaqui, outras espécies também estão à disposição dos consumidores: Piau, Pirapitinga, Curimatã e Judiá. Dessas, apenas o Jundiá é da região de Sena.

Até a presente data, as piracemas de mandin ainda não surgiram na região de Sena Madureira.

Contilnet

Continue lendo

Outras

Banco não é responsabilizado por “Golpe do QR Code”

Publicado

em

A 1ª Turma Recursal dos Juizados Especiais negou provimento ao recurso apresentado por uma consumidora que sofreu um golpe. O Colegiado compreendeu que a sentença deve ser mantida, porque restou comprovado que não houve qualquer intervenção da empresa demandada

A parte autora explicou que recebeu um e-mail para atualização do aplicativo do banco, sendo agendado um atendimento via telefone. Ao receber o telefonema, uma pessoa que se dizia atendente da instituição demandada deu prosseguimento na atualização do seu aplicativo, fornecendo um link, então ela baixou a atualização e executou-se o procedimento conforme solicitado. Só depois ela descobriu que foi vítima de um golpe, quando viu que foi realizada uma transferência no valor de R$ 16.700,00 em nome de terceiro.

A juíza Lilian Deise afirmou que a sentença não merece modificação e a falha na prestação do serviço não está evidenciada. “A parte reclamada afirmou que não adota os procedimentos narrados e a consumidora em nenhum momento comprova alguma atitude proveniente da instituição financeira, como a utilização de algum portal de atendimento oficial”, afirmou a relatora.

O golpe do QR Code representa um típico caso de fortuito externo, no qual não cabe responsabilizar a empresa que não participou da relação fraudulenta. A decisão para o processo n° 0700723-83.2019.8.01.0009 foi publicada na edição n° 7.089 do Diário da Justiça Eletrônico (pág. 46), desta quinta-feira, dia 23.

Continue lendo

Outras

Portaria do INSS detalha procedimentos para atendimento presencial

Portaria publicada pelo Instituto Nacional

Publicado

em

Portaria publicada pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) no Diário Oficial da União de hoje (29) detalha regras e procedimentos para o atendimento presencial nas agências da Previdência Social. Algumas medidas são voltadas à identificação pessoal, especificando quais são os documentos oficiais a serem apresentados, bem como de algumas exceções quanto às características dos documentos.

A Portaria nº 1.027 informa que a identificação pessoal válida do interessado, bem como de seu representante legal ou procurador, é “pré-requisito para a realização do atendimento, sendo obrigatória a apresentação de, pelo menos, um documento oficial com foto e original”.

Segundo a portaria, no caso de pessoas enfermas ou com idade acima de 60 anos, “não poderá ser negado validade da carteira de identidade, mesmo que o documento apresentado contenha alteração das características físicas do titular que gere dúvida fundada sobre a identidade ou alteração significativa da assinatura”.

Além disso, a portaria garante, à pessoa surda ou com deficiência auditiva, ser acompanhada por intérprete ou tradutor de Língua Brasileira de Sinais (Libra), caso seja de seu interesse. De acordo com o texto, solicitações de alta complexidade que não estejam disponíveis nos canais remotos ou por meio de agendamento próprio devem ser feitas por meio da Central 135 ou, excepcionalmente, nas agências.

Maria Claudia

Continue lendo

Trending