Força-tarefa discute ações para enfrentar alagação, dengue e covid-19

O prefeito Tião Bocalom reuniu nesta quinta-feira, 18, com representantes do Ministério da Saúde (MS), Secretaria de Estado de Saúde

O prefeito Tião Bocalom reuniu nesta quinta-feira, 18, com representantes do Ministério da Saúde (MS), Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre), secretários do município e representantes do CONASS (Conselho Nacional de Secretários de Saúde), para articular ações de auxilio as vítimas da alagação dos rios, enfrentamento a pandemia do coronavírus e o combate à dengue.

Durante a reunião, o secretário de Saúde de Rio Branco, Frank Lima, fez uma explanação da curva de dengue no município e esclareceu como a gestão está agindo em relação a aplicação das vacinas, incluindo a imunização contra covid-19, que ocorre de maneira atípica, por não haver doses suficientes pela necessidade da identificação do vacinado.

“O governo federal, por meio do Ministério da Saúde, chega para auxiliar com expertise de seus técnicos. Estamos com vários atores envolvidos nesses quatro eventos, que a gente, tem que infelizmente, enfrentar nesse momento com apenas um pouco mais de 40 dias de governo. Nossa equipe é determinada e a gente vai vencer isso se Deus quiser”, observou o prefeito.

A diretora da Rede de Atenção à Saúde e chefe do Departamento de Vigilância e Promoção a Saúde do Estado do Acre, Adriana Maria Vieira, ressaltou que a população vai ter nessa força-tarefa um modelo organizacional para enfrentar a dengue, covid-19 e a cheia dos rios. “Nunca passamos dentro da nossa história por três situações de calamidade, alagação, epidemia e pandemia”.

Noely Moura coordena a força-tarefa do Ministério da Saúde no Acre. Segundo ela, traçar estratégias no combate e controle do vetor da dengue é essencial. “A população do município de Rio Branco, e de todos os outros municípios do Estado, precisa estar vigilante para dentro de suas casas na eliminação dos criadouros dos vetores, no combate ao mosquito, Aedes Aegypti. Aqui na cidade, o índice de infestação está alto”, observou.

 

In this article