Conecte-se conosco

Política

GOVERNO DEFINE salário mínimo

Os brasileiros tiveram uma notícia bem frustrante

Publicado

em

Os brasileiros tiveram uma notícia bem frustrante nesta semana. Embora as expectativas já estivessem muito baixas, algumas pessoas ainda acreditavam que poderia ocorrer um anúncio do governo federal sobre o aumento do salário mínimo, mas isso não aconteceu.

O ministro do Trabalho e Previdência, Luiz Marinho, afirmou que o piso salarial nacional continuará em R$ 1.302 ao menos até maio deste ano. Apenas nesse mês que o valor poderá subir no país, dependendo de como estiverem as discussões sobre o tema.

“Neste momento, o salário mínimo vale R$ 1.302. O despacho é: estamos instituindo um grupo de trabalho que discutirá a politica de valorização do salário mínimo. (…) Hoje é R$ 1.302 e maio pode ser que haja alteração a partir desse trabalho que vamos construir”, explicou Marinho.

A saber, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva criou um grupo de trabalho na última quarta-feira para debater o valor do salário mínimo. Em síntese, esse grupo irá vigorar por 45 dias, prazo que poderá ser prorrogado por igual período.

Além disso, o grupo terá mais uma grande responsabilidade: definir uma política permanente para o salário mínimo nos próximos anos.

O salário mínimo atual do país vale R$ 1.302. Em suma, esse valor foi proposto pelo ex-presidente Jair Bolsonaro, que editou uma Medida Provisória (MP) no final do ano passado com esse reajuste.

O documento perderia o seu valor caso o presidente Lula tivesse sancionado outro valor para o salário mínimo. Aliás, a equipe do petista informou ainda no final de 2022 que o piso nacional seria de R$ 1.320, mas isso não aconteceu. E é esse valor que muitos brasileiros ainda esperam receber.

O ministro Luiz Marinho foi questionado sobre a manutenção do valor do salário mínimo definido pelo ex-presidente Jair Bolsonaro. De acordo com ele, caso Bolsonaro continuasse no poder, o valor não superaria a variação da inflação.

“Se fosse o Bolsonaro, seguramente, ele iria reduzir para a inflação como fez em todo seu mandato. Portanto, se fosse o Bolsonaro, hoje certamente o salário mínimo seria de R$ 1.286, que correspondeu à inflação. Mantivemos em R$ 1.302 e vamos discutir no grupo de trabalho a valorização do salário mínimo”, disse o ministro.

A saber, o governo possui duas opções quando o assunto é reajuste do salário mínimo. A primeira delas se refere à vinculação à inflação, ou seja, o salário será reajustado conforme a variação da inflação no ano anterior. Já a segunda opção é a promoção de um aumento real no piso nacional, superando a oscilação da inflação.

Em 2023, os trabalhadores contaram com um ganho real do salário mínimo. Em resumo, essa foi a primeira vez que o governo Bolsonaro deu um aumento real ao piso nacional, visto que, em todos os anos anteriores do governo, o salário foi reajustado apenas vinculado à inflação.

O reajuste salarial vinculado à inflação garante aos trabalhadores que não haja perda do seu poder aquisitivo. Na verdade, o consumo das famílias é um dos grandes motores da economia brasileira, e o governo federal tenta manter esse motor funcionando, ao menos da mesma maneira que funcionava no ano anterior, promovendo os reajustes do salário mínimo.

Contudo, o governo também pode dar um aumento real ao piso salarial nacional, acima da inflação. Neste caso, o cidadão terá uma renda mais elevada e, teoricamente, poderá adquirir mais itens que no ano anterior, uma vez que seu salário terá subido mais do que os preços dos bens e serviços no país.

Em suma, o termo inflação se refere justamente ao aumento contínuo e generalizado dos preços de bens e serviços. Quanto mais alta essa taxa estiver, mais difícil fica para a população manter os mesmos hábitos de consumo. E o resultado disso é um crescimento econômico mais fraco.

Em outras palavras, um reajuste mais expressivo do salário mínimo tende a ajudar milhões de famílias do país a aumentarem os seus hábitos de consumo. Por outro lado, os reajustes no piso nacional também afetam os valores dos benefícios do INSS, como pensões e aposentadorias, por exemplo, gerando ainda mais gastos para o governo.

Por isso que há tantos cálculos para definir qual o reajuste mais adequado em cada ano de governo. Ao trabalhador do país, resta aguardar por uma decisão, que só sairá em maio

Por Ruan Samarone

Política

Governo segue o cronograma do mutirão de cirurgias na Fundhacre por mais seis meses

O governo do Acre, por meio da Fundação

Publicado

em

O governo do Acre, por meio da Fundação Hospital Estadual do Acre (Fundhacre), vem seguindo o cronograma do mutirão de cirurgias na unidade hospitalar. Nesta segunda-feira, 6, pacientes que se encontram na fila de espera nas especialidades de cirurgia-geral e vascular compareceram no hospital para realização dos exames pré-operatórios que seguem em sua terceira fase.

A diretora-geral do hospital, Duciana Araújo, explica que a programação mensal é que 250 pacientes sejam operados no mutirão, que terá durabilidade de mais seis meses.

“O nosso planejamento é manter as cirurgias eletivas como vêm acontecendo na rotina do nosso centro cirúrgico e a rotina do nosso mutirão de cirurgias com a meta principal de 250 cirurgias por mês”, salientou a gestora.

Maria Ivete de Souza Rodrigues, 52 anos, mora em Rio Branco. A paciente tem problemas vasculares, e precisava passar pelo procedimento cirúrgico. Ao lado da filha Cleane de Souza, relata que tem esperança que tudo ocorra com êxito.

“Posso dizer que hoje estou ansiosa e feliz em fazer a operação. Tem sido difícil pra mim, sinto muitas dores, principalmente na perna esquerda, que está muito inflamada. Já cheguei a ir para o centro cirúrgico e na hora o procedimento ser cancelado devido à trombose. Isso tudo me causou muito sofrimento, porque é uma cirurgia de risco”, disse a paciente Maria Rodrigues.

Em maio de 2022, o governo lançou o mutirão de cirurgias na Fundhacre, o intuito foi diminuir a fila de espera e promover a qualidade de vida daqueles que aguardavam uma cirurgia eletiva. Assim ocorreu a ampliação do centro cirúrgico e toda uma organização na logística para recepcionar os pacientes que vinham tanto da capital quanto do interior do estado.

As primeiras cirurgias realizadas ocorreram em julho, com duração de seis meses, totalizando 1.237 procedimentos. Atualmente vêm sendo contempladas no mutirão cirurgias nas especialidades de urologia, vascular, mastologia, ginecologia, cirurgia geral e pediatria.

A continuidade do mutirão de cirurgias é um compromisso do governo do Estado em oferecer dignidade às pessoas que há anos aguardam por uma intervenção cirúrgica na rede pública de Saúde.

Por Juliana Queiroz- Agencia de Notícia do Acre

Fotos: Gleison Luz

 

Continue lendo

Política

Forças de segurança fiscalizam e mantém a ordem na Tríplice Fronteira

A Secretaria de Estado de Justiça

Publicado

em

A Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública do Acre (Sejusp), por meio do secretário-adjunto, coronel Evandro Bezerra, e do diretor operacional, delegado Marcos Frank, esteve reunida neste sábado, 4, com a equipe da prefeitura de Assis Brasil, juntamente com as representantes das forças de segurança entre Polícia Militar, Grupo Especial em Fronteira (Gefron), Polícia Rodoviária Federal (PRF) e os proprietários do posto de combustível do município, para planejar esforços com o objetivo de mitigar os problemas causados pela entrada de peruanos no município de Assis Brasil, onde estão saindo de seu país em busca de combustíveis e outros derivados no lado brasileiro.

Como ação imediata, houve a fiscalização de vendas irregulares e a permanência de equipes do Gefron e da PRF no município para prestar apoio à polícia local para a restauração da ordem.

O secretário-adjunto, coronel Evandro Bezerra, explica que ficou decidido com os proprietários do posto de combustível a definição de uma bomba preferencialmente, para atender os brasileiros, assim como manter uma reserva de combustível para atender os serviços essenciais do município, de modo que não venha a faltar.

“Com as ações que foram adotadas pela Secretaria de Segurança Pública, junto aos órgãos competentes e as equipes da Polícia Militar, Gefron e PRF, até o momento não houve qualquer problema grave no local. Os peruanos são colaborativos e estão acatando as orientações das autoridades”, ressaltou o secretário-adjunto.

Na ocasião, participaram do planejamento das ações a serem desenvolvidas, o vice-prefeito de Assis Brasil, Reginaldo Monteiro Bezerra e sua equipe, o comandante da Polícia Militar do município, tenente Daniel de Souza Ferreira, equipes da PRF e do GEFRON.

Por Ila Verus- Agencia de Notícia do Acre

Fotos: Ascom Sejusp

Continue lendo

Política

Saúde reinicia atividades do Programa Opera Acre com cirurgias ginecológicas em Senador Guiomard

Publicado

em

Beneficiando 12 pacientes que aguardavam em fila da espera para cirurgias ginecológicas, o governo do Acre, por meio da Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre), retomou as atividades do programa Opera Acre, neste sábado, 4, no Hospital Ary Rodrigues, em Senador Guimard.A vice-governadora Mailza esteve presente na ação reforçando, junto aos pacientes e servidores, o compromisso da gestão em zerar a demanda reprimida por cirurgias em todo o Estado.

“Cuidar das pessoas, essa é a meta do governador Gladson Cameli e, também, a minha. A saúde está no topo de nossas prioridades, enquanto governo. Por isso, não pouparemos esforços para realizarmos esses mutirões de cirurgias e garantirmos qualidade de vida a toda nossa população”, declarou.


Ao lado da vice-governadora, os secretários de Estado, Alysson Bestene e Jonathan Donadoni; os deputados estaduais, Adailton Cruz e Michelle Melo; o vice-prefeito de Senador Guiomard, Ney do Miltão e o presidente da câmara dos vereadores de Senador Guiomard, Sandrão, também prestigiaram o início das atividades.

De acordo com o secretário de saúde, Pedro Pascoal, administrar as filas de cirurgia no Sistema Único de Saúde (SUS) é um grande desafio, em função de toda a estrutura necessária, mas com dedicação e planejamento é possível traçar os objetivos.


“Vamos trabalhar para que ao final desses quatro anos não tenhamos mais filas de espera para cirurgias no Acre. Agradecemos a confiança do governador e da vice-governadora e esperamos retribuir, oferecendo uma saude de qualidade ao povo acreano”, disse.

Dentre os procedimentos cirúrgicos, foram realizadas três histerectomias abdominais, cinco laqueaduras e quatro curetagens. As pacientes são moradores dos municípios de Senador Guiomard, Plácido de Castro, Capixaba, Acrelândia e Rio Branco.

A paciente Sônia Maria Rodrigues, de 37 anos, aguardava ansiosa pela cirurgia de laqueadura. “Eu tenho cinco filhos, e a minha última gestação foi de risco, tive hemorragia, muito perigoso. Então, estou feliz com atendimento”, afirmou.


Para a autônoma, Amélia Marques, de 57 anos, a tão aguardada curetagem não poderia ser feita em melhor hora. “Há dois anos eu venho enfrentado essa enfermidade, sangramento e por último estou sentindo muitas dores. Mas graças a Deus consegui minha cirurgia e todo esse sofrimento vai acabar”, falou.

Por Cássia Veras- Agencia de Notícias do Acre

Fotos: Odair Leal/Sesacre

Continue lendo

Trending