Conecte-se conosco

Sena Madureira

Polícia Civil prende faccionado investigado pelo cometimento de vários roubos em Rio Branco

 A Polícia Civil por meio da Delegacia de Repressão

Publicado

em

A Polícia Civil por meio da Delegacia de Repressão as Ações Criminosas Organizadas (Draco) deu cumprimento ao mandado de prisão expedido em desfavor de W.N.E., vulgo “Mortal”.
A prisão de “Mortal” é fruto de um minucioso trabalho investigativo que logrou êxito na ação policial.

De acordo com a investigação, o preso além de pertencer a uma organização criminosa é também investigado por tráfico de drogas e responsável pelo cometimento de vários roubos a residências em bairros da capital.
Após sua prisão, o investigado foi conduzido a Delegacia de Flagrantes (Defla) para procedimento de praxe e em seguida colocado à disposição da justiça.

Mais uma vez a DRACO agradece a parceira firmada entre o Poder Judiciário (mediante a Vara de Delitos de ORCRIMs) e o Ministério Público (por intermédio do GAECO), no combate ao crime organizado.

Ascom

Policial

Estupros costumam ocorrer dentro de casa e os autores são quase sempre conhecidos da vítima

Neste ano, um caso entre outros tantos de violência sexual

Publicado

em

Neste ano, um caso entre outros tantos de violência sexual contra crianças e adolescentes registrados no Acre chamou a atenção em Xapuri, onde um homem de 59 anos estuprou o próprio neto, que à época do crime tinha apenas 5 anos de idade. A pena, em razão dos agravantes do parentesco e da recorrência dos abusos, foi alta: 19 anos e 3 meses de reclusão em regime inicialmente fechado. O réu já está cumprindo a sentença, no presídio estadual Francisco de Oliveira Conde, em Rio Branco.

O caso acima, em que o nome do condenado foi omitido para preservar a vítima e a própria família, se enquadra naquilo que demonstra um artigo das especialistas Marina Bohnenberger, mestranda em Antropologia Social pela Universidade de São Paulo (USP) e Samira Bueno, doutora em Administração Pública e Governo pela Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas (FGV EAESP) e diretora-executiva do Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

O texto, publicado no Anuário Brasileiro de Segurança Pública, atualizado no dia 15 de julho desse ano, trata dos registros de violência sexual durante a pandemia de Covid-19 e apresenta análise dos microdados de estupros registrados no país durante o ano de 2020. Foram analisados 60.926 registros de violência sexual no Brasil, sendo 16.047 de estupro e 44.879 de estupro de vulnerável, provenientes dos boletins de ocorrência lavrados pelas Polícias Civis em todos os estados da Federação.

A relação do chocante caso ocorrido em Xapuri com o estudo das especialistas se dá porque ficou evidenciado que 85,2% dos autores dos crimes de violência sexual eram conhecidos das vítimas, quase sempre (96,3%) do sexo masculino, muitas vezes parentes ou outras pessoas próximas que têm livre acesso às crianças e tornam qualquer denúncia ainda mais difícil. Apenas 14,8% dos estupros no Brasil foram de autoria de desconhecidos das vítimas.

Outro fator que se encaixa no caso ocorrido em Xapuri é quanto à distribuição dos crimes de estupro e estupro de vulnerável. Enquanto os casos de estupro ocorrem majoritariamente aos sábados e domingos, os estupros de vulnerável, categoria em que a maioria das vítimas são crianças, ocorrem em maior proporção de segunda à sexta-feira, quando mães e outros responsáveis provavelmente saem para trabalhar e a criança fica mais vulnerável à violência sexual.

Subnotificação
Apesar do número elevado de casos no país, a pandemia parece ter contribuído para a redução dos registros de violência sexual, o que não necessariamente significa a redução da incidência. Isto porque os crimes sexuais apresentam altíssima subnotificação, e a falta de pesquisas periódicas de vitimização tornam ainda mais difícil sua mensuração. A análise nacional indica queda de 14,1% dos registros de estupro e estupro de vulnerável em 2020, tendência que se verificou em 24 Unidades Federadas.

Anuário Brasileiro de Segurança Pública
O Anuário Brasileiro de Segurança Pública se baseia em informações fornecidas pelas secretarias de segurança pública estaduais, pelas polícias civil, militar e federal, entre outras fontes oficiais da Segurança Pública. A publicação é uma ferramenta importante para a promoção da transparência e da prestação de contas na área, contribuindo para a melhoria da qualidade dos dados. Trata-se do mais amplo retrato da segurança pública brasileira.

Por Raimari Cardoso

Continue lendo

Outras

Alunos do Projeto PC na Escola visitam instalações da Policia Civil do Acre

Na manhã da última quinta-feira, 25, a Polícia Civil deu seguimento

Publicado

em

Na manhã da última quinta-feira, 25, a Polícia Civil deu seguimento às ações do projeto PC na Escola e recebeu a turma de alunos da Escola Estadual Airton Sena da Silva para conhecer a sede da instituição, oportunidade em que foram recebidos pelo Corregedor-geral Fabrizzio Sobreira.

Durante a visita os alunos puderam participar de uma investigação simulada prestando atendimento a vítima, identificando a autoria e recuperando os pertences, (todos os atores eram figurantes). Os alunos conheceram o funcionamento do cartório, setor de investigação e gabinete do delegado. Um cenário foi montado no auditório da instituição com salas de investigação, sala de cartório e os alunos puderam vivenciar o dia-a-dia de um policial civil onde foi possível mostrar como funciona uma delegacia e o trabalho investigativo desenvolvido pelos agentes e delegados de policia civil.

O Corregedor-geral, Fabrizzio Sobreira, ressaltou a importância do projeto para atender crianças e aproximar o trabalho da instituição nas comunidades.

“Retomada de um grande projeto, ocupando um espaço junto a sociedade, junto a esses jovens trazendo conhecimento de moral e cívica, dos seus direitos entendendo que a policia transcende tão somente investigar, mas o bem estar pra sociedade, o bem estar pra esses jovens e incentivando a leitura e conhecimento. É um projeto exemplar que a policia civol que ao longo do tempo vem consolidando. O projeto tem sua importância e a Policia Civil não abre mão de está presente nas escolas”, ressaltou Delegado Fabrizzio Sobreira.

O PC na Escola é um projeto que visualiza, sobretudo, atender crianças que se encontram em condições de vulnerabilidade social e tem como principal objetivo atender primeiramente escolas de bairros mais periféricos. É um compromisso social adotado pela instituição Policia Civil, que agora vai além da sua função básica de investigar para trabalhar trata também da parte preventiva.

Ascom

Continue lendo

Outras

Bombeiros resgatam criança pressa em banheiro

Na manhã da última quarta-feira, 24

Publicado

em

Na manhã da última quarta-feira, 24, o 8° Batalhão foi acionada para resgatar um criança que estava presa no banheiro de sua residência, no km 06, Ramal do Cafuba, em Xapuri.

A criança de 1 ano e 4 meses entrou no banheiro e trancou-se, ficando presa no local, deixando sua mãe em situação de desespero, pelo fato de um forte cheiro de água sanitária envolver o local, e temia que seu filho viesse a ingerir o produto.

Durante o resgate, os militares tentavam acalmar tanto a mãe quanto a criança, no momento em que era realizado a abertura forçada da porta, com a utilização de uma alavanca hooligan. A equipe conseguiu retirar a criança rapidamente, sem ferimentos e sem ingestão de nenhum produto químico. Em seguida, foi entregue aos cuidados de sua genitora.

Continue lendo

Trending