Conecte-se conosco

Política

Maioria apoia restrições de circulação para conter pandemia, indica DataSenado

Três em cada quatro brasileiros concordam que a circulação de pessoas em locais públicos deve

Publicado

em

Três em cada quatro brasileiros concordam que a circulação de pessoas em locais públicos deve ser restringida no atual momento da pandemia de covid-19. É o que indica pesquisa do Instituto DataSenado que avaliou a opinião das pessoas sobre as medidas impostas pelos estados e municípios para conter a disseminação do coronavírus.

Para 78% dos entrevistados, a circulação de pessoas em locais públicos deve ser limitada. Entre esses, 51% acham que a restrição deve ocorrer o dia todo, o chamado lockdown. Para outros 45%, a restrição deve ser menos rígida, durante apenas parte do dia.

A amostra representativa foi feita nos dias 18 e 19 de março, por meio de entrevistas por telefone com mil brasileiros, com idade acima de 16 anos, de todas as regiões do país. Segundo o DataSenado, as perguntas dirigidas permitem estimativa de confiança do estudo em 95%.

As limitações ao comércio têm apoio de 54% da população. Nesse grupo, as opiniões também se dividem: 51% defendem o fechamento parcial, durante apenas algumas horas do dia, e 47% apoiam o fechamento total do comércio durante o dia todo.

A maioria dos brasileiros também acha que restrições devem ser impostas ao funcionamento de escolas (72%) e igrejas (61%).

Riscos
Em relação a levantamento realizado em maio de 2020, a maioria da população continua a manifestar pouca segurança em frequentar shoppings, feiras, bares e restaurantes. No entanto, em geral, houve diminuição na parcela da população que afirma se sentir “nada segura” em frequentar esses locais.

A pesquisa também mostra que brasileiros continuam a considerar que há muito risco de contaminação em locais como academias, áreas de lazer, escolas e faculdades.

Em relação a bancos e transporte público, verifica-se alta no percentual de brasileiros que acham que são locais onde há muito risco de contágio do coronavírus.

Segundo os resultados da pesquisa, 64% dos brasileiros afirmam sentir muito medo do coronavírus. Além disso, nota-se que mulheres reportam “muito medo” com maior frequência do que homens — bem como desempregados que estão à procura de trabalho, em relação à parcela da população que está empregada.

Em cada dez brasileiros, sete acham que este ano está pior do que 2020. E a maioria acredita que tanto a crise econômica quanto a crise na saúde vão piorar nos próximos três meses. Também cresceu o percentual de brasileiros que afirmam que a pandemia está afetando muito a própria vida, em comparação à pesquisa realizada em julho de 2020.

Campanhas
Mais de 90% dos brasileiros acham importante a realização de campanhas sobre a necessidade do uso de máscaras, da vacinação e do distanciamento social como forma de conter a disseminação do coronavírus, mostra a pesquisa.

Em relação às medidas de precaução adotadas pessoalmente com mais frequência, os brasileiros apontam lavar as mãos (93%), usar máscara (86%) e usar álcool em gel (77%). Além disso, 59% evitam ir a locais com muitas pessoas.

Acesso a vacinas
No início de março, a Lei 14.125, de 2021, passou a permitir a compra de vacinas por estados, municípios e empresas privadas. Metade da população ouvida pelo DataSenado afirma saber sobre a lei, originada de uma proposta do Senado, e a maioria acha importante que os outros entes federativos (88%) e o setor privado (81%) também possam adquirir vacinas, além do governo federal. Com essa medida, o processo de vacinação da população vai ser mais rápido, acreditam 84% dos brasileiros.

Fonte: Agência Senado

Continue lendo

Política

Com emenda de Alan Rick, Hospital do Idoso ganha novos monitores cardíacos

Nesta quinta-feira, 02/12, o Hospital do Idoso recebeu

Publicado

em

Nesta quinta-feira, 02/12, o Hospital do Idoso recebeu três monitores cardíacos e nos próximos dias serão entregues outros equipamentos como geladeiras, ar-condicionados e armários, todos frutos de emenda parlamentar de R$ 162 mil direcionada pelo Deputado Alan Rick (DEM).

Também será entregue uma máquina unitizadora de medicamentos – equipamento que automatiza o fracionamento da medicação dando mais segurança na administração dos fármacos adquiridos em grande quantidade. Emenda de aquisição do equipamento já foi paga no valor de R$ 240 mil.

O deputado federal que já está em seu segundo mandato tem direcionado recursos para a saúde do Acre para além do que é de execução obrigatória. Vários outdoors em Rio Branco e nos municípios anunciam os valores. Nos dois mandatos foram mais de R$ 110 milhões, recursos que beneficiaram hospitais regionais, unidades mistas, UPAs da capital e do interior, além de unidades de Saúde dos 22 municípios.

Alan Rick, que está em Brasília, foi representado pelo assessor Carlos Sérgio, na entrega dos equipamentos, na manhã desta quinta-feira, 02/12, e mandou um vídeo cumprimentando os servidores. Na gravação, o parlamentar também anunciou mais investimentos para as unidades que compõem o complexo de saúde da Fundação Hospitalar e para o UNACON.

Entre as emendas já direcionadas no orçamento de 2022, Alan Rick garantiu mais R$ 500 mil para a Fundação Hospitalar.

Para o Hospital do Câncer (UNACON), o parlamentar destinou R$ 1,4 milhão. Desses, R$ 400 já foram pagos para a reforma do prédio.

O diretor-presidente da FUNDHACRE agradeceu a sensibilidade do deputado Alan Rick em relação às necessidades da saúde do Acre, em especial, da Fundação. “Agradecemos esse investimento do seu mandato na FUNDHACRE, em várias frentes, e agora o Hospital do Idoso também sendo contemplado. Esses equipamentos de alta tecnologia vão somar na assistência direta aos nossos pacientes” – completou.

“Também quero agradecer. Obrigada deputado Alan Rick. Com essa aquisição, eu e minhas colegas vamos prestar uma assistência mais adequada aos nossos pacientes. Isso é primordial, principalmente, para o paciente idoso.” – agradeceu a enfermeira Luiza Medeiros, diretora geral do Hospital do Idoso.

Continue lendo

Política

Deracre em Cruzeiro do Sul é alvo de busca e apreensão da Polícia Civil

Agentes da Polícia Civil cumprem mandados

Publicado

em

Agentes da Polícia Civil cumprem mandados de busca e apreensão desde as primeiras horas da manhã desta quinta-feira (2) na sede do Deracre em Cruzeiro do Sul e em residência de gestores do setor no município. A priori não houve prisão.

A ação policial tem por objetivo coletar documentos que indiquem possíveis crimes praticados no setor na região do Juruá.

Por telefone, o diretor do Deracre em Cruzeiro do Sul, Luciano Oliveira, confirmou que houve buscas por documentos em suas residência e de outros chefes de setores e afirmou estar tranquilo e à disposição do trabalho da polícia.

“É o trabalho deles, da polícia. Estou tranquilo. Nosso trabalho do Deracre aqui no Juruá está dando certo, é destaque entre a secretarias do governo. E entendo que a polícia está fazendo seu papel. Algo normal. Também não sou ordenador de despesas”, disse o diretor.

Luciano Oliveira diz não duvidar de que haja cunho político na ação às vésperas das eleições.

Luciano Tavares

Continue lendo

Política

Petecão elogia embaixador no Peru: “Acre vai precisar muito dele”

O Plenário do Senado aprovou

Publicado

em

O Plenário do Senado aprovou nesta quarta-feira (1) com 39 votos favoráveis, 5 contrários e 2 abstenções, a indicação do diplomata Sérgio França Danese para o cargo de embaixador do Brasil no Peru.

No Plenário, o senador Sérgio Petecão elogiou o diplomata e lembrou que o estado do Acre tem fronteira com o Peru. “Lá no Acre vamos precisar muito dele”, disse Petecão.

A República do Peru é o quarto país mais populoso da América do Sul, com 33,5 milhões de habitantes, e o vigésimo mais extenso do mundo (1.285.216 quilômetros quadrados). Está entre os países com maior diversidade biológica e conta com abundância de recursos minerais. Brasil e Peru mantêm Aliança Estratégica desde 2003. Entre os principais temas da relação bilateral estão a integração fronteiriça, o combate a ilícitos transnacionais, o adensamento dos laços econômico-comerciais e a cooperação técnica.

Em 2020, o Brasil se manteve na posição de terceiro maior exportador ao Peru, com exportações de US$ 1,66 bilhão. Um dos desafios da relação é a dinamização da agenda econômico-comercial. Em abril de 2016, os dois países assinaram o Acordo de Ampliação Econômico-Comercial (AAEC), que contempla investimentos, serviços e compras governamentais.

O intercâmbio comercial peruano de 2020 registra queda, com exportações de US$ 39 bilhões (-14% em relação a 2019) e importações de US$ 33,8 bilhões (-15%). O superávit no ano foi de US$ 5,5 bilhões.

Fonte: Agência Senado

Continue lendo

Trending