Mãe recebe primeira dose da CoronaVac pelo próprio filho, técnico de enfermagem da UPA

Além do momento histórico vivido pelos profissionais da saúde do Acre nesta terça-feira, 19, com o início da vacinação com a CoronaVac

Por Thais Farias Além do momento histórico vivido pelos profissionais da saúde do Acre nesta terça-feira, 19, com o início da vacinação com a CoronaVac, mãe e filho, também atuantes na área, vivenciaram um dia especial no auditório do Pronto-Socorro de Rio Branco. A técnica de enfermagem Raimunda Gomes do Nascimento, de 69 anos, foi uma das quatro primeiras pessoas a receber a imunização na capital acreana e foi seu filho mais novo, o técnico de enfermagem James do Nascimento Mendonça, de 43 anos, quem teve a honra de aplicar a vacina na mãe.

O governador Gladson Cameli se emocionou bastante durante o ato de vacinação, chegando a chorar enquanto Dona Raimunda recebia a dose. Os profissionais de saúde presentes na cerimônia aplaudiram a aplicação feita entre filho e mãe. A maioria dos familiares de Dona Raimunda é composta de profissionais de saúde.

 

James do Nascimento, que trabalha atualmente na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Sobral, optou por seguir os caminhos da mãe. “Esse foi um grande privilégio, pois a data é um marco no Estado. A gente precisa da vacina para ter uma imunização mais duradoura”, contou o filho, que contraiu o coronavírus em meados do mês de abril do ano passado.

“O coração de mãe é só orgulho”, disse a técnica que recebeu a primeira dose da CoronaVac no Acre. Dona Raimunda é natural de Sena Madureira e deu início às suas atividades na área da saúde em 1983 como Operacional de Serviços Diversos (OSD) no Hospital de Saúde Mental do Acre (Hosmac). Em 1991 foi lotada no Pronto Socorro de Rio Branco, onde está até a presente data. Ela fez curso de Auxiliar de Enfermagem pelo Instituto Nacional Brasileiro, complementação do curso de técnico em enfermagem pelo Projeto de Profissionalização dos Trabalhadores da Área de Enfermagem (Profae) na escola Maria Moreira e atualmente cursa Gestão Pública na Faculdade UNINTER. Com 30 anos de serviço prestados no Pronto-Socorro, hoje ela aguarda aposentadoria compulsória com um total de 38 anos de serviço.

Outras três pessoas também receberam a primeira dose do imunizante: Foram eles: o idoso morador do Lar Vicentino José Marcelino de Oliveira, de 85 anos, a enfermeira Maria José Monteiro, 66 anos e a enfermeira indígena Elza Severino da Silva Manchineri.

In this article